top of page

FONAMEC APROVA ENUNCIADO E CRIA PREOCUPAÇÃO PARA CATEGORIA

Atualizado: 6 de ago. de 2021

Nova redação do enunciado N°19 do FONAMEC passa a isentar partes do pagamento de custas e despesas processuais e gera dúvidas quanto à abrangência do entendimento fixado



Na tarde de ontem (21), o Fórum Nacional de Mediação e Conciliação trouxe à pauta do dia alterações de alguns enunciados que passarão a direcionar os trabalhos de Mediação e Conciliação nos CEJUSC.


A grande polêmica, que causou diversas indagações da categoria desde a aprovação, foi quanto a nova Redação do Enunciado 19 que passou a prever a isenção de custas e despesas processuais para as partes que utilizarem dos serviços do CEJUSC, o que gerou dúvidas quanto a se a nova determinação atingiria também ao Direito de cobrança realizado pelo Conciliador/Mediador, especialmente quanto ao trabalho nos setores pré-processuais.



Entretanto, conforme a explicação do juiz Ricardo Pereira Jr., autor da nota técnica (nova redação), o enunciado vem apenas para ampliar o acesso à justiça e estimular a utilização do expediente pré-processual, uniformizando no âmbito nacional o entendimento de que, não havendo norma com força de lei em sentido o contrário, as partes ficarão isentas do pagamento de taxas e despesas processuais nos CEJSUCs, o que dá a entender, no tocante à despesas processuais, que trata-se apenas dos valores referentes aos custos para formação e andamento de processo judicial, não se referindo, assim, aos honorários do mediador e conciliador.


E não poderia ser diferente, pois, considerando a legislação em vigor, as resoluções 125 e 271 do próprio CNJ, assim como a Resolução 809 do Tribunal de Justiça de SP, quanto aos dispositivos que tratam sobre a gratuidade da mediação/conciliação pela Justiça Estadual, temos por certo que essa poderá ser conferida exclusivamente às partes que dela fazem jus, em observância a condição de hipossuficiência econômica de cada caso.


À exemplo, destaca-se a Lei de Mediação (n°13.140/15), em seu art. 4°, § 2°, que traz que “aos necessitados será assegurada a gratuidade da mediação”, englobando nesse entendimento o trabalho dos mediadores/conciliadores também dos setores pré-processuais. Ainda, nesse mesmo sentido, a resolução 271/18 do CNJ e a recente Resolução 809/19 do TJSP, inclusive, fixaram o limite máximo de atuação gratuita em 10% de todas as demandas atendidas pelo Poder Judiciário.


Todavia, o SIMEC-SP entende que o enunciado n°19 do FONAMEC poderá ensejar dúvidas das figuras envolvidas no sistema de mediação/conciliação dos CEJUSCs (advogados, defensores públicos, magistrados, chefes de setores, partes, etc.), no que buscaremos acionar formalmente o órgão competente (FONAMEC) para a sua alteração, passando a inserir, de modo mais claro, que o comando ali trazido da redação, não se aplicará aos honorários do mediador e conciliador.


E, para que possamos continuar os trabalhos pelo SIMEC-SP, é de suma importância o seu apoio e a filiação à entidade. Pois somente assim poderemos garantir a manutenção e a ampliação dos Direitos da nossa categoria. Destaca-se que o momento demanda atenção e a união de todos, para que, assim, consigamos avançar com a nossa luta pela remuneração e evitar retrocesso ou afronta àquilo que já temos por Direito!

Faça parte do SIMEC-SP. Filie-se em: http://www.simecsp.org.br/associe-se

Abaixo, segue o link com a parte do vídeo em que há a discussão e aprovação do enunciado 19 do FONAMEC.

657 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page