Conheça as principais mobilizações do SIMEC-SP em sua trajetória pela  da remuneração dos Mediadores e Conciliadores Judiciais

Nos mais de 3 anos de atuação, o SIMEC-SP desenvolveu diversas ações em prol da categoria. Foram anos marcados por muita luta e  avanços importantes na busca por Reconhecimento e Valorização do trabalho dos Mediadores e Conciliadores Judiciais.  Confira alguns dos nossos destaques:

Em defesa do Abono Indenizatório aos Mediadores e Conciliadores

Em  22 de abril de 2015, a Lei Estadual n° 15.8040/15 foi sancionada pelo então Governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, passando a prever um pagamento pecuniário à título de abono indenizatório pela atuação voluntária dos conciliadores e mediadores em atividade nos Centros Judiciários de Solução de Conflitos - CEJUSC.

Contudo, no ano seguinte a publicação da norma, a Procuradoria Geral de Justiça do Estado de São Paulo (PGE/SP) entrou com a Ação Direta de Inconstitucionalidade, no Tribunal de Justiça, em face da Lei Estadual n° 15.804/15, com a finalidade de que fosse decretada a sua inconstitucionalidade. 

Frente a isso, o SIMEC-SP prontamente, requereu a intervenção no processo na qualidade de "Amicus Curiae" (amigo da corte), para defender a manutenção da norma e a permanência da obrigatoriedade do Estado de SP em prover recursos para efetivação do pagamento dos facilitadores de Justiça, requerendo, por fim, a extinção da ação com a improcedência ao pedido da PGE de São Paulo.

Na ocasião, o SIMEC-SP foi representado pela advogada, e também mediadora, Dra. Luciana Favero e os advogados Dr. Gilberto Mussi e Antonio Carlos Romão.

Desse modo, em sustenção oral à corte julgadora, o SIMEC-SP no sentido de que, muito embora o texto da Lei n°15.804/15 não indique os recursos financeiro-orçamentários destinados ao custeio da despesa por ela apontada, conforme manda o artigo 25 da Constituição Estadual de São Paulo, não há razão para que se decrete sua inconstitucionalidade e, consequente, revogação, mas a sua mantença porquanto se aguarde a aprovação de recursos para se dar a devida eficácia à norma.

O Órgão Especial do Tribunal de Justiça de São Paulo, em votação unânime,  decidiu conforme o Relatório do eminente Desembargador, ARANTES THEODORO,  que, em acolhimento à tese do SIMEC-SP, posicionou pela manutenção da norma para que haja a aprovação de recursos e, por conseguinte, o seu cumprimento. Nesse sentido, destacamos o seguinte trecho do venerando acórdão, in verbis:

" (...) o entendimento corrente é no sentido de que à luz do artigo 176 inciso I da Constituição do Estado - que proíbe se dê inícioa programa, projeto ou atividade não incluído na lei orçamentária - a falta de indicação da fonte de custeio não desqualifica a lei, apenas a torna inexequível no exercício corrente, isto é, da data de seu ingresso em vigor.

(...) Aliás, exatamente isso aqui ocorreu nos exercícios seguintes à edição da referida lei conforme informaram o Presidente da Assembleia Legislativa (fls.82) e o “amicus curiae”(fls. 107). Na linha aqui indicada tem decidido o Supremo Tribunal federal, isto é, no sentido de que “A ausência de dotação orçamentária prévia em legislação específica não autoriza a declaração de inconstitucionalidade da lei, impedindo tão-somente a sua aplicação naquele exercício financeiro.” (ADI nº 3599/DF, rel. Min. Gilmar Ferreira Mendes). (...) Em suma, pelo motivo indicado julga-se improcedente a ação, ficando com isso insubsistente a liminar." (Ação Direta de Inconstitucionalidade, sob o n° 2216816-83.2016.8.26.0000. Órgão Especial do Tribunal de Justiça de SP. Relator: Arantes Theodoro. Julgado em 26 de julho de 2017).

Paralisação e Abraçaço nos fóruns no Dia do Mediador 

Em razão do não pagamento dos conciliadores e mediadores judiciais, tanto em descumprimento à Lei Estadual n°15.804/15, quanto à Lei Federal n° 13.105/15 (Código de Processo Civil), o SIMEC-SP em aliança com o Movimento dos Conciliadores do Estado de São Paulo, promoveu atos de paralisação, abaixo assinados e distribuição de informativos em todo Estado de São Paulo.

 

As mobilizações buscavam tanto a união da categoria em todo estado, levando informações a respeito dos Direitos já garantidos por lei, quanto chamar a atenção do Judiciário, a respeito da necessidade de resolver a situação dos Conciliadores e Mediadores. 

O ato de formar uma corrente humana na frente dos fóruns e no Palácio da Justiça, foi para transmitir a ideia de que nós abraçamos o projeto de promoção da Cultura de Paz estabelecida pelo Judiciário. Juntamente, a demonstrar a união da categoria e seu descontentamento com a atual situação. 

Moções do SIMEC-SP em cobrança às autoridades do Estado de São Paulo

​​Ante a necessidade de  conseguir recursos para o orçamento do Tribunal de Justiça de  São Paulo, especialmente, pelo fato de que este não procede à solicitação de aporte de mais recursos para contemplar com o pagamento os facilitadores judiciais, o SIMEC-SP sempre se mobilizou a fim de sensibilizar e cobrar as autoridades do Legislativo e Executivo, inclusive, participando de pronunciamentos na Assembleia Legislativa do Estado (Colégio de Líderes Partidários) e câmaras municipais, com o  objetivo de chamar a atenção dos Deputados Estaduais acerca do nosso pleito pela remuneração.

Reivindicações junto ao Governador de São Paulo, Geraldo Alckmin:

Abordagens e reuniões com demais membros do Executivo, Legislativo e Judiciário:

A conquista dos R$ 3 milhões para pagamento dos facilitadores judiciais

No final de 2017, após muita luta da equipe do SIMEC-SP e com o apoio da categoria que se fez presente na ALESP, conseguimos pressionar membros do Legislativo do Estado para aprovação de recursos-financeiros a serem destinados ao orçamento do Tribunal de Justiça, para a efetivação do pagamento dos mediadores e conciliadores judiciais.

Com esta aprovação, foi destinado a quantia de R$ 3 milhões para os cofres do Tribunal de Justiça, para utilização no ano de 2018.

Assim, uma enorme conquista do SIMEC para nossa categoria!

Saiba mais sobre os trabalhos do SIMEC-SP, até o ano de 2018, em nosso portfólio abaixo:

 Capital
Rua Joaquim Floriano, n° 101 
Itaim Bibi - São Paulo/SP - CEP: 04534-010
  

Interior

São José do Rio Preto

Rua Venício Cordeiro, 290 - Ana Angélica

CEP: 15041-180 - São José do Rio Preto/SP
 

©2019 by SIMEC SP. Proudly created with Wix.com